Colunistas

Devagar mamãe…

A colunista Cecília Russo Troiano incentiva as mães equilibristas a deixarem a correria um pouco de lado para aproveitar melhor o tempo com os filhos

“Devagar mamãe, não há motivo para pressa,
Devagar mamãe, o que é essa correria?

Devagar mamãe, prepare uma xícara de chá para você,
Devagar mamãe, venha e fique um tempo comigo.

Devagar mamãe,  ponha seus sapatos e vamos sair para dar uma volta lá fora,

Anúncio

FECHAR

Vamos sair para chutar umas folhas, dar risadas, nos divertir e conversar.
Devagar mamãe, você parece cansada,
Sente-se ao meu lado e vamos nos enfiar em baixo dos cobertores e descansar um pouquinho


Devagar mamãe, a louça suja pode esperar,
Devagar mamãe, vamos nos divertir na cozinha e preparar juntos um bolo!
Devagar mamãe, eu sei que você trabalha muito,
Mas às vezes, mamãe, é bom quando você para um pouco.

Sente com a gente um minuto,

E ouça o nosso dia,
Passe um tempo gostoso,

 Porque a nossa infância não está aqui para ficar”

 

 

Rebekah Knight         

 

Lendo esse poema, respiro fundo e penso na vida. Acho maravilhoso e muito inspirador nos dias atuais. Muito inspirador e provocativo ao mesmo tempo. Que bom é dar um tempo na vida de equilibrista e olhar para o lado, respirar, contemplar. Não fazer nada e curtir a vida, curtir os filhos, apreciar os momentos.

Confesso que meu dia a dia nem sempre me permite essas paradas. Afinal, como boa equilibrista, fico sempre tentando encaixar mil coisas na agenda e acho que sempre cabe uma a mais. E meus filhos, percebem minha correria? Claro que sim! E acho que eles têm um sentimento conflitante em relação a ela. Admiram minha capacidade de produzir, de fazer mil coisas, tem orgulho desse meu lado equilibrista. Algumas vezes eles podem até achar essa velocidade toda boa. Afinal, a geração dos nossos filhos é nascida no ritmo do tempo digital. Mas tem horas em que até eles querem uma pausa desse ritmo frenético e odeiam esse meu lado acelerado, certamente. Talvez quisessem uma mãe com menos pratinhos, uma mãe menos agitada, mais zen. Devagar mamãe, já ouvi isso antes.

O ano está começando e vejo como uma boa hora para reler esse poema e botá-lo em prática, de verdade. Pregar o texto na geladeira e a cada leitura, parar para uma respiradinha e um olhar mais demorado sobre coisas que nos fazem felizes. Uma conversa a mais com o filho adolescente. Uma rodada a mais de brincadeira com as crianças. Um livrinho a mais para o pequeno pegar no sono. Uma volta a mais pelo parque empurrando o carrinho e olhando a natureza. Um almoço mais demorado em companhia da família. Mais devagar, mamãe. Sem pressa. Sem fazer as coisas de forma automática. Viva de verdade os momentos, brinque por inteiro, sorria de forma larga, cozinhe com vontade, ande sem pressa, viva a vida por inteiro. A vida é muito boa para passar tão rápido e nem nos darmos conta de quão boa ela é.

Devagar mamãe…

Pais&Filhos TV