Colunistas

O Fino da Bossa

Ike Levy conta a emoção de assistir ao músical sobre Elis Regina na companhia do sogro Jair Rodrigues, parceiro dela

Acabei de chegar do musical que estreou em São Paulo: “Elis, A musical”.

São 2h30 da manhã, estou com sono, mas os filhos estão dormindo e resolvi aproveitar o silêncio para escrever, ainda em estado de choque. Dessa vez, a Lu não pôde me acompanhar ao teatro. Teve que ficar em casa amamentando o nosso pequeno Tony. Fui com os meus queridos sogros, Jairzão e Clô.

Ao chegar encontrei o “Pedrão”, Pedro Mariano, filho da Elis Regina e meu amigão. Pensei: puxa, que bacana ver a peça no mesmo dia do Pedro e ao lado do Jair Rodrigues, que teve uma importância tão grande na carreira da Elis.

Anúncio

FECHAR

No palco, outro grande amigo deu um show. O talentoso Claudio Lins. Na fileira atrás da nossa, mais amigos. Uma noite feliz se anunciava.

Na minha cabeça, uma pessoa muito importante entrou em cena. Meu pai, Jaime Levy, que infelizmente faleceu muito cedo, aos 33 anos de idade. Foi ele quem me apresentou à música. Me lembro de gravar muitas fitas com o meu pai. Ele colocava a agulha do toca-discos com todo cuidado entre uma faixa e outra, REC PLAY, gravando! Que engraçado pensar nisso nos dias de hoje.

Passei a infância ouvindo: Maria Bethânia, Chico Buarque, Rita Lee, Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Roberto Carlos, Elis Regina, um tal de Jair Rodrigues e outros grandes dessa geração. A vida nos conduz por caminhos tão interessantes que acabei me casando com a Luciana Mello, cantora com uma voz inconfundível e uma linda mulher.

Não me lembro de ter visto uma peça tão bonita e bem produzida como essa. Quando a atriz Laila Garin, que interpreta Elis Regina, e o ator Ícaro Silva, interpretando Jair Rodrigues, fizeram “O Fino da Bossa”, meu coração bateu mais forte. Meu Deus, estou ao lado do verdadeiro Jair Rodrigues e mais… Ele é o pai da minha mulher.

O número foi MUITO aplaudido! Nesse momento, uma luz foi direcionada a uma única pessoa na plateia. Segurei em seu braço e disse: – Levante-se Sogrito, o papo é com você. Ele se levantou com aquele sorriso que contagia e os aplausos se intensificaram com o público em pé.

Logo depois, tocaram a música “Casa no campo”, que era uma das preferidas do meu pai. Sempre que ele cantava a parte que diz: “e meu filho de cuca legal” me olhava e dava um sorriso carinhoso. Chorei no teatro e agora ao escrever. Senti um turbilhão de emoções nessa ida ao teatro.

Resumindo, consegui fazer uma linda homenagem ao meu pai.

Pai, quem diria que um dia você seria parceiro do Jair Rodrigues?

Os nomes dos dois estão gravados pra sempre no mesmo parágrafo das certidões de nascimento dos seus netos, Nina e Tony.

Ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais.

—————————————————————————–

Parabéns a todos os envolvidos nessa produção teatral. O Brasil precisa valorizar esses talentos.

Ouça a música: http://letras.mus.br/elis-regina/45668/

Pais&Filhos TV