Colunistas

Dolce far niente

Um fim de semana off, em meio à natureza e filhos com monitoria full time. Porque a gente é mãe, mas é esposa também e precisa cuidar do outro lado da vida...

O tão sonhado fim de semana no hotel fazenda chegou. A escolha foi difícil, entre as opções que temos pelo interior de São Paulo. Mas as indicações do Dona Carolina, em Itatiba, foram muito boas, principalmente para as crianças. Porque grávida que é grávida se acomoda em qualquer cama de hotel. Já uma infraestrutura que dê conta da energia de uma criança de 5 anos não é para qualquer um… 

Estávamos querendo mesmo um local perto de São Paulo, onde Gabriel pudesse ficar solto no mundo, sob olhos atentos dos monitores, claro. Podem me chamar de “menas-mãe”, mas meu filho passou um final de semana brincando com mais umas 10 crianças e sem os pais por perto. 12 horas non stop. A gente? Bem, a gente estava na beira da piscina, com uma água de coco e uma cerveja gelada, jogando conversa fora. Porque a gente precisa, certo? 

Confesso que o hotel me ganhou não só pelo conforto das toalhas Trussardi e kitzinho da L’Occitane no banheiro. O casarão de 1872, a arquitetura, a área de lazer, o atendimento personalizado, a atenção de todas as pessoas com as crianças… Tudo isso me fez relaxar na primeira colherada do doce de leite caseiro que serviram após o jantar. 

Anúncio

FECHAR

Fato é que daqui a pouco serão dois. Duas crianças em momentos diferentes, duas gerações em casa, dois pais à beira de um ataque de nervos sem tempo pra namorar um ao outro. E, enquanto o bebê não vem, essa foi a nossa chance de ter um fim de semana de não fazer nada, ou como a expressão que eu amo define: dolce far niente. (Do filme Comer, Rezar, Amar). 

O rezar, nessa viagem, ficou em segundo plano, apesar da lindíssima igrejinha que habita os jardins do Dona Carolina. Gostoso mesmo foi amar e comer as delícias da fazenda. Curtir o marido e ver a alegria do filho ao andar de trator, tirar leite da vaca Jurema, andar muitas vezes no caiaque e na tirolesa e fazer parte da turma do jantar coletivo. 

Enquanto isso, os pais se deliciavam com um som de voz e violão na beira da piscina, com o chorinho na hora do almoço e com a seresta na cachaçaria. Sim, tem uma cachaçaria com direito a degustação com que os meninos grandes se deliciaram. Enquanto eu continuei na minha água de coco. Por motivos óbvios. 

Resultado de tudo isso é uma família mais leve, mais solta e mais feliz, mais relaxada após um delicioso final de semana. Sair um pouco desopila, né? Relaxa a musculatura do rosto e faz a gente sorrir com mais facilidade. E quando você vê, até a segunda-feira amanhece mais bonita! Recomendo! ☺ 

Ah, lá no blog tem mais informações sobre a nossa escolha do hotel fazenda. Depois olha lá!

 

Pais&Filhos TV