Colunistas

Troca-troca

Um jeito de seu filho ganhar um presente, sem gastar um tostão

Entrei no quarto de um recém-nascido outro dia e vi que ele tinha uma série de gavetinhas cheias de brinquedos. Comecei a imaginar quantos mais daqueles o pequeno ganharia pela frente. Lembrei-me daquela montanha de presentes que as crianças ganham no aniversário, outro tanto no Natal, isso sem contar dia das crianças etc. Ai, ai. Eu não vou propor que nossos filhos não tenham brinquedos, muito menos que não ganhem presentes. Afinal, a vida precisa dessas delícias. Mas acho que poderíamos tentar dar uma “driblada” nas compras de cacarecos (afinal, é isso que viram esses brinquedos quando vemos todos juntos em uma gaveta). Foi o Thiago, filho da Renata e do Dodô, que tem 10 anos, quem me trouxe a solução. O Thiago criou um grupo no Facebook que se chama ‘troca-troca kids’, para a troca de brinquedos. Por enquanto está muito no começo, tem alguns garotos oferecendo figurinhas, mas a ideia é que cresça e que as crianças possam trocar seus brinquedos por lá. Achei a iniciativa fantástica.

Que tal pensar no assunto e tomar uma atitude? Comece convencendo seu filho a se desprender de alguns brinquedos, só não valem os que estão quebrados ou muito velhos. Depois, você pode falar com as mães dos amigos dos seus filhos e montar “um dia da troca”; ou combinar com os outros pais do seu prédio de fazer as trocas num final de semana, no salão de festas. Esse processo vai ser bacana, olha pelo que seu filho vai passar:

Anúncio

FECHAR

1. Analisar seus brinquedos. Enquanto olha suas coisas, ele vai “ressuscitar” alguns brinquedos, ter lembranças de outros e, acima de tudo, ter consciência de tudo o que tem. Mas cuidado, aqui pode ser que ele desista e talvez precise de um incentivo para não dar o fora.
2. Aprender a negociar. Ele vai ter que ser sedutor, ou seja, convencer outra criança do porquê vale a pena fazer a troca. E saber avaliar as outras ofertas.
3. Exercitar a doação. Ao escolher um brinquedo legal que está esquecido, seu filho estará dando para outra criança a chance de brincar com ele também.
Se fosse só por isso, já teria valido a pena. Mas ainda no final ele vai voltar para casa com coisas “novas” para brincar, sendo que vocês não terão gasto nada por elas. E, ainda por cima, o quarto já vai ter espaço livre para colocá-las.

Para saber mais sobre mesada e educação financeira, assista a esse episódio do Repórter Pais&Filhos:

Pais&Filhos TV