Colunistas

8 dicas para ter um ano em paz com seu filho

O que ele será amanhã vai depender do que está sendo feito hoje, lembra a pedagoga Ligia Pacheco

Seu filho está respondão? Não te respeita mais? Não quer obedecer? Só pensa nele? Não ajuda em nada? Reclama de tudo? Quer tudo na hora dele? Nada agradece? Calma, seu filho não é o único, basta olhar em volta. Mas, quase tudo o que a criança faz ou diz foi aprendido. E se foi aprendido, alguém ensinou. Parece óbvio, mas não é. Sou a favor de que os pais sejam os principais responsáveis pela educação dos filhos. Trago dicas educacionais (testadas e aprovadas) que ajudam a construir relações harmônicas e fortes entre pais e filhos. Vamos a elas.

1. Qualidade se conquista com quantidade. Ninguém vira uma exímia boleira na primeira receita. Nenhum escritor consagra-se num primeiro rascunho. Assim também se dá com a educação. Quanto mais oportunidades educacionais com o seu filho, maiores as chances de uma educação de qualidade.

2. Não delegue as suas responsabilidades. Por exemplo: Muitos pais deixam a criança escolher o que comer ou onde ir. Mas, para ter esta autonomia é preciso conhecer opções, saber distinguir o que é bom e ruim, ter experimentado, refletido. Os pais devem preparar o filho para esta tomada de decisão. Mas até lá, atente-se às suas responsabilidades e à preparação do filho para assumi-las.

Anúncio

FECHAR

3. Não assuma responsabilidades alheias. Assim, você nunca deixará que o outro desenvolva-se. Ouço mães reclamando que os maridos não sabem trocar fraldas. Ou que os filhos não sabem arrumar suas coisas. E por que as mães sabem? Porque elas têm oportunidade e prática. Para bom entendedor…

4. Ensine o seu filho desde pequeno a perceber, agradecer, valorizar tudo o que é feito a ele. O objetivo é desenvolver percepção, generosidade, gratidão, responsabilidade, reconhecimento, não para usar como cobrança ou negociação.

5. Não permita que o seu filho grite com você, ou te dê ordens. Respeito se aprende vivenciando com autoridade. Não por decreto com tirania, ou por subserviência com lamentação, nem com chantagens psico-sentimentais. Respeite-se e respeite seu filho, que assim ele aprenderá.

6. Não dê a seu filho tudo o que ele pede. Saber querer, desejar, esperar, frustrar-se, conquistar… Tudo é importante.

7. Não transforme seu filho em rei. O poder sem preparo pode ser perigoso, distorcer a realidade e despreparar para a vida real, que nada tem de realeza. Dê limites claros e precisos, leve-os a sério, que seu filho irá bem.

8. Deixe seu filho crescer. O que o seu filho será amanhã vai depender do que está sendo feito hoje. Reforço: o hoje diz do amanhã. O desenvolvimento é processual. Aprendizagens simples que servem de base para aprendizagens mais complexas, que servirão de base para outras mais complexas e assim seguem. Não tenha pena do seu filho. Prepare-o para a vida.

Reveja suas atitudes, faça as adaptações necessárias, acredite na mudança, faça valer sem perder a ternura e tenha um ano de paz e de sábia e saborosa educa-ação. Vamos lá fazê-lo.

Pais&Filhos TV