Colunistas

Mochilas e cangurus

Quem acha que mochila é coisa de adolescente, está completamente enganada

abre-coluna-ana-27-03

(Ilustração: Manita Menezes)

Ser mãe é fazer um tour pelo mundo animal. A gente carrega tanta tralha que parece uma mula de carga. Tem uma fase que ficamos tanto com o bebê no colo que adquirimos a postura de uma tartaruga. A medida que o tempo passa, daríamos nossa forma humana pela de um polvo certamente. Dois braços não dão conta de dar a mão, carregar bolsas, sacolas, triciclos e lanchinhos.

Cansada de entortar as minhas costas e de deixar as bolsas caírem, quando minha segunda filha nasceu decidi que ficaria sempre com os braços livres. Então, ao invés de comprar uma “bolsa do bebê”, optei por andar sempre de mochila, de preferência com um canguru. Foi muito melhor. Eu podia até dar a mão pra minha outra filha quando saia. Um luxo.

miolo-coluna-ana

(Ilustração: Manita Menezes)

Quem acha que mochila é coisa de adolescente, está completamente enganada. Todo mundo anda de mochila hoje em dia, por causa dos computadores. Achar uma de acordo com o seu estilo é infinitamente mais fácil do que achar um bolsa do bebê que combine contigo.

Anúncio

FECHAR

A grande questão da mochila é que a pessoa tem que aprender a ser objetiva, não carregar mil mudas de roupa, levar só o essencial mesmo. Ou optar por uma modelo de mochileiro, aí dá pra levar até um pacotão de fraldas.

Quando o bebê ainda é muito pequeno dá pra carregá-lo num sling. Os neutros combinam com tudo. Principalmente com o papai. Tem coisa mais fofa que um pai passeando com o bebê todo amarradinho?

Dicas de estilo e moda por Bruna Holderbaun e Milena Faé, consultoras da closet detox

  • A tendência esportiva fortíssima apareceu nas últimas estações. Ela transformou o tênis em um calçado cool e socialmente aceito para quase todas ocasiões e trouxe as mochilas para fora do universo infantil. O que é ótimo, porque é muito prático.
  • No mercado existem uma infinidade de modelos dos mais diversos materiais, tamanhos e preços. Quanto mais divisórias melhor, assim você não perde as suas coisas no buraco negro que pode ser a nossa bolsa às vezes.
  • Escolha a mais adequada ao seu estilo pessoal e estilo de vida e seja feliz com as duas mãos livres para cuidar e brincar com seu(s) pequeno(s).
  • Até as pochetes voltaram, acredita? Embora seja difícil fazer caber tudo o que uma mãe precisa numa pochete, é sempre bom saber que os hábitos do passado sempre voltam.
  • Nada mais trendy e JUSTO que os pais assumirem cada vez mais os filhos e os carregarem pra cima e pra baixo 😉

 

Pais&Filhos TV