Bebês

Seu filho não quer comer? Calma, essa fase vai passar!

Estabelecer rotinas e deixar o filho explorar o mundo dos alimentos ajudam na alimentação, explica o pediatra Claudio Len

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Até os seis meses de idade, o seu filho só se alimentou do leite materno. A partir daí, você começou a introduzir os alimentos e, claro, quer que ele seja saudável. O problema é quando ele começa a recusar as papinhas ou comidas em geral, fazendo com que conseguir uma colherada seja uma vitória. Você força, insiste, faz brincadeiras… E se sente culpada por não conseguir fazê-lo comer. Chega até mesmo a se perguntar se o problema é a maneira que você prepara a alimentação dele.

Anúncio

FECHAR

Sem culpa: essa fase da recusa é passageira. “Meu filho não come nada!” é o tema do próximo encontro da campanha “Culpa, Não!”, que acontece aqui na redação da Pais & Filhos nesta sexta-feira (4/10).

A dica do pediatra Claudio Len, pai de Fernando, Beatriz e Sílvia, é que os pais deixem que a criança conheça o mundo dos alimentos. “A criança deve brincar com a comida, mas não se deve brincar para a criança comer”, orienta. Seu filho vai querer explorar esse novo mundo, segurar e manipular os alimentos… E se lambuzar bastante. Isso vai ocorrer até pelo menos os três anos de idade. Mas não tem problema! O que não deve ser feito é ter que alimentar a criança por meio da distração, como levar brinquedos para a mesa. Hora de comer é hora de comer, não de assistir ao programa de televisão.

Evite as práticas negativas

Evite fazer com que a substituição de alimentos saudáveis acabe sendo por comidas industrializadas e doces, por exemplo. A criança tem que aprender a comer e as refeições devem ser feitas nos horários certos. Se o seu filho não quis comer no almoço, espere até o horário do lanche da tarde: não dê guloseimas para compensar. Isso pode atrapalhar a rotina da criança e fazer com que ele recuse a próxima refeição.

Dê exemplo à mesa

Procure fazer com que o momento da refeição seja saudável e agradável. Evite dar bronca na hora de comer: isso tira a atenção da criança e acaba fazendo com que fique estressante – para você e para ele. Sente-se com o seu filho à mesa e mostre como e o que você come. Explique o quanto é importante e monte pratos coloridos, que chamam a atenção da criança.

Famílias que funcionam com a rotina

Reserve ao menos 30 minutos para os momentos de alimentação. Se o tempo for curto, procure deixar a mesa arrumada no dia anterior. Essa rotina, até os três anos de idade, ajudará o seu filho a criar bons hábitos que serão levados para a vida toda e também colaboram para regular o sono. “Tente manter a rotina todos os dias e não quebrar tanto nos finais de semana”, orienta o pediatra.

Ofereça novamente

Se o seu filho não quis a maçã, ofereça a banana. Em outro dia, volte a oferecer a maçã. Mas entenda que a criança não é obrigada a comer tudo: tem coisas que ela vai gostar e outras não. O ideal é que essa criança seja estimulada à alimentação saudável e que seja feita um tipo diferente de verdura e legume por refeição, para que ela possa experimentar e começar a formar os seus próprios hábitos alimentares saudáveis.

“Alimentos gordurosos costumam ter um paladar mais agradável”, diz o pediatra Claudio Len. Por isso, evite que os doces virem um hábito na rotina do seu filho, isso pode fazer com que ele recuse os outros alimentos. No mais, consulte sempre o pediatra e veja qual é a alimentação adequada para a idade da criança, para que sejam evitados problemas como obesidade ou anemia.

Consultoria: Cláudio Len, pai de Fernando, Beatriz e Sílvia, pediatra da clínica Len de pediatria

www.clinicalen.com.br