Bebês

O primeiro Natal do bebê

Muita gente, lugar barulhento e lugar estranho - as festas de final de ano trazem grandes novidades para o bebê. Por isso, tome alguns cuidados

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Provavelmente, seu instinto de mãe leoa está te deixando com os nervos à flor da pele só de pensar em tirar seu bebê da toca. Mas é importante que ele comece a socializar em família e aprenda, desde cedo, que este é um período do ano repleto de uma deliciosa bagunça. Seguindo alguns conselhos, dá pra mãe e bebê aproveitarem a festa e terem um Natal cheio de paz e alegria.

Com bebê pequeno, cuidado grande  

Você não precisa perder a festa de Natal porque tem um bebê em casa. Mas dependendo da idade dele, a família deve levar em consideração alguns pontos importantes. “Até os três meses, o ideal é mudar o menos possível a rotina do bebê”, explica o pediatra Claudio Len, pai de Fernando, Beatriz e Sílvia. Ele defende que nessa fase a criança não pode ser muito exposta, já que tem seus horários de mamada que devem ser respeitados e ainda não receberam todas as vacinas importantes dos primeiros meses de vida. Pode sair? Claro que sim, mas com bom senso. “Não existe restrição, mas é um período de resguardo. É bom evitar passar o bebê de colo em colo, pois existe o risco de resfriado e viroses, e ambientes com muito barulho”, ressalta o pediatra.

Anúncio

FECHAR

Perceba e respeite os sinais do seu bebê

Na véspera de Natal, Duda, com 4 meses, resolveu tirar uma soneca no final da tarde. Sua mãe, a arquiteta Marcela Franco, ficou com medo de que a filha perdesse o sono e passasse toda a ceia acordada. “Mas deixei rolar para ver o que acontecia”, conta. Resultado: pouco antes do jantar, a pequena mamou e caiu no sono. Nem o barulho dos fogos da meia-noite a acordaram. É uma boa alternativa tentar manejar as sonecas do bebê ao longo do dia para que ele esteja dormindo na hora da ceia ou quando começa a festa, mas sem neura. Forçar um sono que não vem ou segurar o bebê muito tempo acordado pode deixá-lo mais irritado. O melhor é ir observando seu filho e respeitar os sinais que ele transmite.

Escale um time de cuidadores e faça revezamento

Se a festa de Natal for dessas animadas e barulhentas e o bebê muito pequeno, pode ser que a mãe prefira mantê-lo em algum aposento mais tranquilo da casa. Enquanto ele está dormindo, a babá eletrônica entra em cena e permite que mãe e pai curtam a comemoração. Mas enquanto ele está acordado, alguém tem de ficar de vigia, claro. Para que a mãe não perca a festa toda, a dica da Natália Diegues, mãe do Davi, é fazer revezamento. “Costumo revezar com meu marido os cuidados com o Davi durante os eventos. Assim, podemos aproveitar a festa, confraternizar e conversar”, conta. Se alguma tia, prima ou avó se oferecer pra entrar na dança, nem pense duas vezes. No fim das contas, elas vão adorar ter um tempo só delas com seu bebê.

Prepare-se para um dia de agito

Ambiente novo, pessoas novas, música, falação, luz e fogos de artifício: imagine quanta coisa passa na cabeça do bebê diante dessa farra toda. Esteja preparada, portanto, para uma mudança no comportamento do seu filho neste dia de festa. Pode ser que ele fique mais sonolento e faça mais sonecas, assim como pode ficar mais agitado, chorão e com dificuldade pra dormir. No primeiro Natal do Davi, sua mãe Natalia percebeu que o filho ficou bem mais encabulado e com sono instável. A dica dela é não forçar a barra: “Se percebemos que ele está muito agitado, não consegue descansar ou está estranhando muito o lugar, prefira um espaço mais reservado da casa. Acalme-o, conforte-o e, se for o caso, vá embora. Não dá para forçar uma situação”.

Já Caroline Carneiro, psicóloga e mãe de Julia, no primeiro Natal da filha, que foi com 2 meses, ela apelou para o sling pra acalmar a pequena, que com o barulho da festa chorou bastante e não conseguia dormir: “Minha família é de italianos, bem barulhenta e espaçosa. Julia teve cólicas antes do jantar, chorou, mamou e não dormia de jeito nenhum. Só dormiu e relaxou um pouco depois que coloquei ela no sling, aí passei o resto da noite de mãe canguru!”.

A hora de sair de cena

Toda tentativa é válida, e não há razão alguma para não tentar incluir seu bebê nas comemorações de fim de ano, desde que os cuidados adequados sejam tomados. Mas são os pais que devem sentir até que ponto podem chegar sem exigir muito do bebê ou deles mesmos. “Todos os cuidados devem ser tomados, mas sem exageros. As mães sabem qual a hora certa de sair de cena para se dedicar ao bebê e ter um pouco de silêncio”, diz Marcela, mãe da Duda. Além disso, a mãe que amamenta tem de descansar, afinal a rotina de dar o peito é puxada nos primeiros meses de vida do bebê. Portanto, quando te der aquele estalo de “por hoje já deu de festa”, respeite sua intuição e vá descansar com seu bebê.

Consultoria: Dr. Claudio Len, pai de Fernando, Beatriz e Sílvia, pediatra e colunista da Revista Pais & Filhos.