Bebês

Guia do freezer

Papinhas congeladas podem ser a melhor opção para quem não tem tempo para cozinhar todo dia e quer manter uma alimentação caseira

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

A partir dos 6 meses de idade, seu filho já passa a receber alimentos complementares à amamentação: frutas, papinhas e sopinhas. Claro que quando chega essa fase queremos oferecer a maior qualidade possível de alimentos. Mas com a rotina puxada fica difícil cozinhar todos os dias, e é aí o jeito é buscar alternativas.

Para se dividir entre os cuidados com a filha e a carreira, a gerente de um estúdio de Pilates em Campinas, Ale Marques, mãe de Maria Flor, passou a cozinhar os legumes, carnes e outros ingredientes das papinhas da filha a cada três dias e, então, congelava tudo. O reforço na preparação das papinhas congeladas veio da avó das crianças que, depois de criar duas filhas e algumas sobrinhas e primas, já era craque na arte de congelar alimentos e facilitar a vida.

Anúncio

FECHAR

Para estimular a filha a perceber a textura e sentir o aroma e sabor de cada alimento, Ale optou por congelar os ingredientes separadamente. Descongelava cada um dos alimentos, combinava e temperava o prato na hora.

Se você estiver se preparando para voltar ao trabalho após a licença-maternidade ou estiver mesmo em busca de praticidade para seu dia a dia, saiba que congelar alimentos é uma opção segura e saudável, sim, desde que alguns cuidados básicos sejam respeitados.

De olho no sal! – O congelamento realça o sal e mantém o sódio do alimento. Somado a isso vem o fato de que, no começo, as papinhas da criança nem devem ser muito temperadas. Opte por juntar o tempero só depois de descongelar. A recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria para papas salgadas é de 570 mg de sódio para crianças de 7 a 12 meses por dia. Ou seja, pense que em um sachê de sal de 1 g há pouco menos de 500mg de sódio. Assim, você pode usar cerca de um sachê por dia (por dia, e não por refeição!) para não extrapolar a quantidade de sódio na papinha do seu filho.

Na fria – O processo de congelar é fácil, como nos explicou a nutricionista Mirella Pasqualin, filha de Radamés e Nair. Em uma panela, você deve colocar os alimentos que serão usados e cobrir com água. Deixe cozinhar até que fiquem macios. Depois, amasse-os sem peneirar ou passe pelo liquidificador – assim você aproveita mais as fibras dos alimentos e mantém a textura de purê. Por fim, é só congelar – de preferência em porções individuais e em potes de vidro que já estejam esterilizados com água fervida.

Para descongelar, a melhor forma é baixar o pote do congelador para a geladeira. Se você quiser agilizar, pode usar o micro-ondas. Para aquecer, leve ao fogo brando ou ao forno preaquecido.

Prove antes de dar ao bebê – Alguns alimentos podem sofrer alterações de textura ou sabor quando o descongelamento não é feito da forma correta, por isso fique de olho e, depois de descongelar e refogar, prove a comida. Mesmo mais acostumado a alimentos bem temperados, seu paladar é o melhor indicativo para saber se a papinha está gostosa e no ponto certo para seu filho.

Quando o assunto for papinhas doces, a recomendação é que não se congelem as frutas, já que ao picar ou amassar pode haver alteração de sabor e cor, além de causar perda significativa de alguns nutrientes a longo prazo. Para servir a papinha doce, lembre-se de que não é necessário adicionar açúcar, mel ou outro ingrediente.

Para não esquecer as papinhas no freezer, coloque etiquetas nas embalagens com informações de data e conteúdo. O ideal é não oferecer ao bebê as papas com mais de um mês de congelamento.

Substitua o sal – Temperos naturais e frescos realçam o sabor dos alimentos, e são uma alternativa ao uso do sal. Veja algumas opções:

  • Manjerona – Vai bem com tubérculos e legumes.
  • Alho e cebola – Ricos em vitaminas  e nutrientes, deixam a papinha mais saborosa.
  • Manjericão – Além de ser saboroso, tem propriedades antibacterianas.

Consultoria: Liliane Oppermann, mãe de Luiza, Livia e Lara, é nutróloga; Mirella Pasqualin, filha de Radamés e Nair, é nutricionista da RGNutri Consultoria Nutricional; Ana Luisa Vilela, mãe do Joaquim, é médica nutróloga da Clínica Slim Form.