Bebês

Cheia de bossa

Gabriela, autora do blog Bossa Mãe, deixou o filho no berçario aos 5 meses

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Benjamin, um ano e 4 meses, é a prova: ter mãe que trabalha, sem culpa, faz bem, sim. Melhor ainda quando o pai está presente, trocando fralda, lavando a louça. Nas três horas que passamos na casa da família, em São Paulo, Ben distribuiu sorrisos, brincou, comeu, tocou violão. E dava uma resmungadinha aqui e ali quando percebia que não era o centro das atenções. Filho da blogueira Gabriela Miranda e do publicitário Roberto Piffer, Ben corresponde exatamente ao significado de seu nome: filho da felicidade.

Gabriela chegou a pensar que, talvez, não quisesse voltar a trabalhar. Ao planejar o retorno, tinha decidido que o filho ficaria com a avó materna, mas pensou que não seria justo: “Ela mora do outro lado da cidade, ficaria muito cansativo”. Então, começou a procurar um berçário, mas detestava todos. Felizmente, ao chegar ao que seria o último, teve certeza: “Gostei da fachada, da cozinha limpa, do cheiro de comida caseira. O Ben adora o berçário, vai correndo de braços abertos para as tias”, conta.

Anúncio

FECHAR

Na semana de adaptação, dias antes da volta ao trabalho, Benjamin teve bronquiolite. “Aquilo acabou comigo. Mas em nenhum momento pensei em abrir mão do trabalho.”Um tempo depois, durante um almoço, o chefe perguntou a Gabriela o que aconteceria se o filho ficasse doente. “Na mesma semana, me ligam do berçário avisando que ele estava com febre, Cheguei para o meu chefe e disse: ‘Lembra daquela conversa? Pois é, agora aconteceu”. Gabriela se reveza com o marido nas consultas ao pediatra. “No trabalho, deixo claro que meu filho não é impedimento: ele tem pai e um pai participativo”.

A maternidade não mudou o amor de Gabriela pelo trabalho, mas a fez descobrir o prazer de cuidar da casa e cozinhar. “Odiava tudo relacionado à vida doméstica. Hoje, gosto de cuidar das roupas dele, comecei a gostar de cozinhar. Não imaginava que amaria tanto ser mãe, que me daria tão bem na função. Me transformei muito e sinto que sou uma pessoa bem melhor”. Uma coisa é certa: Gabriela é a melhor mãe que Ben pode ter. Ainda bem.

Jogo Rápido

Enjoo
“Passei muito mal no começo da gravidez. Aos 4 meses, passou. Tanto que adorei estar grávida.”

Vínculo
“Durante toda a gestação, conversava muito com ele, colocava caixinha de música pra ele ouvir. Quando estava de licença, chegava a chorar olhando para ele, porque era tanto amor que doía.”

Parto
“Quis parto normal, mas fiz cesárea. Tem gente que se envergonha da cicatriz da cirurgia. Eu não, minha cicatriz é a superação de vários limites meus: o medo que eu tinha de hospital, de cirurgia, de agulha.”

Amamentação
“Com 5 meses, o Benjamin foi para o berçário, e eu mandava o meu leite ordenhado. Com sete meses, dava o peito e complementava. Ele foi perdendo o interesse. Eu não queria que ele largasse.”

Gabriela Miranda,do blog Bossa Mãe (bossamae.wordpress.com), foi a mãe escolhida este mês na campanha Culpa, Não. Ela escreveu um depoimento sobre trabalho e culpa e foi selecionada para participar do brunch. Você pode ser a próxima!

Veja o vídeo que fizemos na casa da Gabriela