Bebês

A hora do terror!

O estresse é bem antes da meia-noite, quando a fome e o cansaço batem neles

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Pra quem tem filho, a hora do pânico é bem antes da meia-noite: entre as 18h e as 20h, a fome e o cansaço deixam a família inteira estressada. Conheça algumas estratégias infalíveis para mudar o roteiro deste filme
 

Por Beth Howard/ Tradução de Samantha Melo, filha de Sandra e Tião

Anúncio

FECHAR

Não faz nem uma hora, você estava concentrado terminando aquele relatório de orçamento ou brincando feliz com o seu filho no tapete da sala. Agora você está consolando um bebê aos berros, enquanto tenta colocar o irmão mais velho no banho, você mesmo perto de chorar. Bem-vindo à hora da birra, quando o estresse contamina toda a família, transformando crianças bem-educadas em pequenos Freddy Kruegers.

A hora da birra não engloba apenas bebês com cólica. Ela realmente pode afetar todos os membros da família: "No fim do dia, logo antes do jantar, nenhum de nós está em seu melhor momento", explica Carol Baicker-McKee, psicóloga infantil e autora de Preschooler Problem Solver (Soluções de problemas com o pré-escolar). "O cortisol, hormônio relacionado ao nosso grau de produtividade, atinge seu nível mais baixo, fazendo cair os índices de glicose  no sangue, e o cansaço é grande. Nessa hora, as famílias estão num momento de transição de atividades, e as crianças estão naquela hora em que requerem mais atenção. Não é de admirar que este seja um momento de desespero para os pais." Pois é, você não está sozinho. Mas, como nos filmes de terror, não adianta correr do problema. Você tem de enfrentá-lo.

Nenhuma mãe ou pai consegue passar incólume por esse momento tenso pré-jantar. A não ser que você chegue em casa com as crianças já dormindo, mas isso também não é o ideal, já que você escapa dos gritos, mas também deixa de ficar um pouco com seu filho, certo? “Mães que trabalham querem desesperadamente algum tempo para descontrair, e mães que ficam em casa podem ansiar por algum tempo sozinhas", resume Kathleen A. Kendall-Tackett, psicóloga de saúde e autora de The Hidden Feelings of Motherhood (Os sentimentos ocultos da maternidade).

Como você pode descansar, manter a paz, sem recorrer a Metallica e fones de ouvido? Calma, a gente está aqui para ajudar. Antes de sentar e chorar, tente essas ideias.

Vista roupas confortáveis

Trocar de roupa depois do trabalho ajuda a sua mente a melhorar o humor azedo. "No minuto em que você coloca roupas mais confortáveis, começa a relaxar", diz Laura Markham, psicóloga clínica em Nova York.

E essa troca também beneficia seu filho, pode acreditar. "Quando eu trabalhava em creches, via sempre pais em roupas caras, literalmente empurrando seus filhos para longe para evitar que estragassem seu visual com baba ou marcas de chocolate”, diz a dra. Baicker-McKee. Um truque é manter um velho casaco ou uma blusa no carro para colocar sobre aquele seu lindo vestido Diesel – assim você pode evitar que os dedos de tinta do pequeno sujem tudo quando você dá um grande abraço nele. E você já o receba depois de tantas horas aos berros…

Uma dose de natureza faz bem

Crianças e pais podem estar irritadiços e cansados, mas há chances de eles estarem também hiperestimulados. Então, dê a todos a oportunidade de ficar longe de tudo, ainda que por alguns momentos. Antes de iniciar sua rotina à noite, dê uma volta no quarteirão (que tal um sorvete na esquina de vez em quando?) ou apenas saia um pouco para o quintal, se você tiver a sorte de ter um, diz Janet Allison, consultora familiar em Portland, Oregon.

Se morar em prédio, vale dar uma chegada no playground. "Concentre-se nas plantas, descubra uma joaninha ou uma larva, ou simplesmente observe o pôr-do-sol (aproveite o horário de verão) – isso irá ajudá-lo a libertar o estresse do dia", diz ela.

[!page]

Dê às crianças o que elas querem – você

O erro que muitas mães (e alguns pais, claro) cometem é ir para casa e achar que têm de começar imediatamente a cuidar das tarefas domésticas. Especialistas aconselham os pais a trabalhar para dar aos seus filhos a atenção total que anseiam após um dia de separação, antes de pensar em fazer o jantar.

Calma, não é tão complicado. Vale se sentar com ele para jogar, montar a torre de blocos ou para ler um livro. Qualquer coisa que não seja interrompida por toque de celular, e-mail ou o que for. "Antes de fazer qualquer coisa, antes mesmo de tirar os sapatos, dou a meus filhos minha total atenção para que não passem as próximas duas horas tentando conseguir isso", diz Shannon Eis, mãe de duas crianças, de Nova York. "Eles só precisam de dez minutos comigo, depois passam para coisas mais divertidas."

Acredite, se eles sentem que tiveram sua atenção exclusiva por alguns momentos, desgrudam mais fácil depois. E aí, sim, você pode pôr a mesa ou ligar a TV. E respirar.

Ofereça petiscos

Ofereça às crianças um pouco de água ou leite enquanto elas mastigam palitos de cenoura, pedaços de queijo, maçã, fatias de pepino ou metades de tomate-cereja antes do jantar. Elas não vão comer direito depois? Tudo bem. Contanto que belisquem coisas saudáveis, não importa se não conseguirem comer tudo que está no prato depois.

Além disso, "é incrível como as crianças comem mais legumes e verduras quando são servidos como petiscos do que quando competem com carboidratos (tipo macarrão ou batata-frita) no prato do jantar", diz a dra. Markham.

Transforme a sala em um ambiente calmo

Apague as luzes, coloque almofadas confortáveis e deixe tocar uma música relaxante. Pré-selecione uma lista de CDs ou crie uma playlist para a hora do jantar para que as crianças possam escolher o que mais gostam.

Podem ser CDs feitos especialmente para crianças (Palavra Cantada e Adriana Partimpim fazem mágica) ou músicas "de adulto" que você goste e eles também (jazz, bossa nova, música clássica, MPB). Isso dá aos pequenos uma sensação de controle, ao mesmo tempo em que dá a eles um papel importante na rotina da noite. Permita que as crianças peguem o seu lençol favorito ou bicho de pelúcia e incentive-as a cantar junto com suas músicas.

Ignore o telefone

Evite a tentação de retornar chamadas ou ler e enviar e-mails logo antes do jantar. Espere que todos estejam alimentados. Depois do jantar, todos têm mais energia para outras tarefas, incluindo cuidar das crianças. Se não der mesmo para evitar levar trabalho para casa, faça o que tiver de fazer depois que eles já estiverem na cama. Cansa menos.

Tenha um momento de paz

Para ter um período de relaxamento antes da preparação das refeições, tente um sistema de revezamento, deixando a cada um dos pais um momento para si mesmo, sugere Mark E. Sharp, psicólogo em Oak Brook, Illinois, que se especializou no trabalho com famílias. Enquanto um de vocês serve o jantar, o outro folheia uma revista. Depois, vocês trocam: um lava a louça e o outro relaxa… Pais solteiros podem precisar ser mais criativos. Vale ouvir seu CD preferido ou até escutar um audiolivro no caminho para buscá-lo na escola.

[!page]

Abra exceções

Ocasionalmente, em uma daquelas noites doidas de preguiça, o jantar pode ser mais simples: cereais e frutas ou pizzas com recheios saudáveis que as próprias crianças ajudam a montar (deixe queijo, tomate e peito de peru cortados, por exemplo). Jennifer Soos, terapeuta matrimonial e familiar em San Antonio, Texas, admite que, às vezes, oferece algumas torradas com manteiga de amendoim e geleia. E por que não? Não exige nenhuma preparação, não faz sujeira – e as crianças não reclamam. "Tento ter alguns dos cereais mais saudáveis na mão para que eles não consumam apenas açúcar no jantar, mas é agradável não cozinhar, às vezes", acrescenta ela. Se for uma vez ou outra, tudo bem.

Crie uma tradição

Rituais familiares podem ajudar a marcar a transição nessa hora do dia. As crianças pequenas não são capazes de entender as passagens de tempo ainda, então é útil ter um sinal de que uma parte do dia acabou e outra está apenas começando. Crie um aperto de mão "secreto" para usar quando você se reunir com seu filho. Ou toque uma música especial, leia aquela história curta… O que combinar mais com vocês.

Coloque seus filhos para trabalhar

Deixe os filhos mais velhos se envolverem com a preparação da comida, seja picando alimentos e quebrando ovos ou ajudando a pôr a mesa e servir o jantar. Mesmo que isso não reduza muito sua carga de trabalho, pode diminuir seu ressentimento de ter de fazer todas as tarefas. Além disso, as crianças gostam de sentir que estão contribuindo. Acaba virando uma grande brincadeira.

Alimente as crianças mais cedo

Se eles estão famintos e cansados, por que não alimentá-los mais cedo? Essa é uma boa estratégia quando um dos pais chega em casa cedo ou há uma babá que pode fazer isso. Mais tarde, todos podem se sentar para a "hora da família" – os pais jantam enquanto as crianças comem frutas de sobremesa. As crianças gostam da experiência de refeições em família e assim podem manter contato com ambos os pais e, ao mesmo tempo, eles são alimentados em uma hora adequada. Se esse arranjo não funciona na sua casa, não se preocupe; é só ter a certeza de compartilhar outra refeição, como o café da manhã.

Mude suas expectativas

Saber que birras nessa hora do dia são comuns – e normais – pode torná-las mais fáceis de tolerar. Coloque os sentimentos de seus filhos em palavras e deixe que eles saibam que você os entende. Por exemplo: “A mamãe sabe que você está cansado e com fome e, ao mesmo tempo, querendo um pouco de colo. Se você puder esperar, vou terminar de pôr a mesa e podemos ficar juntos um pouco antes do jantar”. Dê um pouco de folga a si mesmo. Se funcionar, deixe as crianças tirarem todos os brinquedos da caixa. Vale qualquer coisa para manter a paz e sua sanidade mental.

Ajude as crianças a descontrair

Os pequenos precisam descansar também, então incentive-os a fazer atividades suaves. Uma ideia: deixe seu filho fazer um desenho enquanto você prepara o jantar. Mantenha lápis e giz de cera e alguns livros de colorir na gaveta da sala de jantar.

Depoimento

“Observei que o fim do dia estava ficando um caos: As crianças agitadas, sensíveis e dispersas. Então, estabelecemos uma rotina: primeiro o banho e depois eles colocam a mesa. No jantar, conversamos sobre o que foi legal e chato no dia”, Agatha Heap, mãe de Lucas, de 6 anos, e Victoria, de 4 anos.

Para ler com eles

Teimas e Birras, de Fanny Abramovich: Quatro alunos da quarta série, cada um com suas teimas, cismas e birras e algumas soluções. Editora Scipione (www.scipione.com.br), R$ 24,90.

De Papo com a Noite: Depois de tantas travessuras durante o dia, o menino não consegue diminuir o ritmo. Editora Scipione (www.scipione.com.br), R$ 12,90.

Para ler sozinho

Como Educar Crianças de Temperamento Forte, de Rex Forehand e Nicholas Long: Para conviver em harmonia. Editora M. Books (www.mbooks.com.br), R$ 37,90.

Como Educar Sem Usar a Violência, de Dora Lorch: Manual de boas maneiras para os pais. Afinal, criança merece respeito também.Editora Summus (www.summus.com.br), R$ 37,80.

Crianças Estressadas: Causas, Sintomas e Soluções, de Marilda E. Novaes Lipp: Entenda o estresse infantil e aprenda a contribuir para reduzir a tensão de seus filhos.Editora Papirus (www.papirus.com.br), R$ 35,90.

Na Hora do Chilique, de Michelle Kennedy: Noventa estratégias para não perder a paciência e evitar futuros chiliques dos pequenos. Editora Publifolha (www.publifolha.com.br), R$ 19,90.

Pais&Filhos TV