Bebês

9 coisas estranhas que seu filho faz

Se você acha alguns dos comportamentos do seu bebê meio esquisitos, saiba que tudo é fase e tem um por quê.

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Por mais fofo que seja seu bebê, você acha estranhos alguns dos seus comportamentos, tipo gostar de tirar a roupa, ouvir a mesma história 500 vezes, jogar comida pra todo lado, enfiar objetos no nariz, escalar nos móveis… Entenda essas e outras atitudes 

Por que meu bebê gosta tanto de ficar pelado?

Ele nasceu desse jeito e às vezes é gostoso ficar assim, ao natural. Mas também pode ser que uma etiqueta esteja incomodando, que ele esteja com calor ou que ele esteja com vontade de pular e dançar sem o aperto das roupas. “Crianças pequenas não conhecem as regras sociais, então se estiverem com vontade, simplesmente vão tirar a roupa”, diz Jenn Berman, autora do livro Super Baby: 12 Ways to Give Your Child a Head Start in the First Three Years. Uma vez que eles conseguem tirar a camiseta, a fralda e as meias, ficam morrendo de vontade de praticar essa habilidade. Fique atento à sua reação: se você fizer um escândalo quando ele entrar na sala com sua roupa de festa, ele pode achar que essa é uma ótima maneira de chamar sua atenção na frente de outras pessoas. 

Anúncio

FECHAR

Por que meu filho de 2 anos quer escalar em todos os móveis?

Ele não está apenas aprimorando suas habilidades motoras quando escala nos móveis da sala, também está demonstrando curiosidade. “Eles querem ver como são as coisas de outra perspectiva”, explica Jenn. Subir em escrivaninhas e estantes é a forma de seu filho explorar coisas que estão fora de seu alcance e que ele quer tocar ou brincar.

Mas também é uma forma comum de se machucar. Em 2009, um estudo do Center for Injury Research Institute at Nationwide Children’s Hospital, nos Estados Unidos, mostrou que 14.700 crianças se machucam com quedas de móveis anualmente – muitas vezes depois que elas o escalaram. Se seu filho está sempre tentando atingir novas alturas, melhore a segurança da sua casa e fique de olho até que essa fase passe. Coloque móveis grandes, como armários e estantes junto à parede e prenda com suportes em L (em que você coloca o parafuso tanto no móvel quanto na parede). Coloque a televisão num lugar baixo, com base larga, e esconda os fios dos eletrodomésticos, para que seu filho não puxe e arraste coisas pesadas sobre ele mesmo.

 

Por que meu filho joga comida pela cozinha?

Primeiro, ele provavelmente faz isso porque está curioso para saber o que acontecerá com a comida. “Ele aprende: ‘eu fiz isso acontecer. Eu posso causar um impacto no ambiente'”, explica Marni Roosevelt, professora assistente de desenvolvimento infantil no Los Angeles Valley College, nos Estados Unidos. Mas o que começa como uma lição sobre gravidade pode rapidamente se transformar em um teste de limites. Se você sempre pega a comida do chão, seu filho vai começar a pensar: “a mamãe responde ao que eu faço. Posso conseguir a atenção dela e isso é legal!” Então, calmamente diga alguma coisa assim: “não é para jogar comida. Se está jogando, provavelmente é porque já terminou. Hora de sair do cadeirão.” 

Meu filho insiste em ouvir a mesma história, a mesma música ou assistir ao mesmo DVD várias e várias vezes. Ele não se cansa?

Não. Crianças pequenas adoram coisas familiares e previsíveis. “Repetição dá a elas uma sensação de conforto. Elas gostam de saber o que vem depois”, diz Shannon Choe, especialista em desenvolvimento. Enquanto você está achando tudo aquilo bem chato, para o seu filho, conhecer a história de trás pra frente dá a sensação de domínio. Isso ajuda na construção do vocabulário e, mais pra frente, ajudará na alfabetização. 

Meu filho está sempre pedindo para vir para o colo e, quando vem, quer descer. O que acontece?

Quando ele tem esse tipo de demanda, é bem provável que esteja simplesmente testando seu poder: “o papai vai me pegar quando eu quiser?” Uma vez que ele aprender a resposta, ele estará pronto para ir andando. Os motivos também podem ser práticos: quando ele está nos seus braços, ele pode ver o brinquedo que está atrás do sofá e então querer descer para brincar com ele. “As crianças vivem o momento”, diz Jenn, “e esses momentos podem ser bem rápidos”. Seu filho precisa aprender que ele não vai ter sempre tudo o quer, então não se sinta culpado por ignorar pedidos que não são essenciais. “Isso vai ajudá-lo a desenvolver a habilidade de lidar com frustração e desapontamento”, explica Edward Christophersen, professor de pediatria da University of Missouri-Kansas City School of Medicine

Meu filho está sempre colocando pequenos objetos dentro do nariz ou da orelha. Por quê?

Feijões. Algodão. Giz de cera. Moedas. Baterias. Para seu filho, colocar pequenos objetos no nariz não é diferente de conseguir encaixar o triângulo no buraco certo daquele brinquedo colorido que ele ganhou. Além disso, colocar objetos nos orifícios do corpo pode ser calmante, como chupar o dedo. É improvável que uma ervilha no nariz cause algum problema, já objetos como um botão ou uma moeda podem se alojar na garganta e bloquear a passagem de ar. Baterias alcalinas são tóxicas e engolir dois ou mais ímãs pode causa ferimentos internos. “O maior risco de asfixia é em crianças de 7 meses a 4 anos”, diz Patricia A. Rogers, professora de pediatria na The University os Texas Medical Branch at Galveston. A dica dela: vá engatinhando pelos quartos em que seu filho brinca e pegue todos os objetos pequenos que encontrar. Se não, ele vai achá-los primeiro. 

Por que meu filho é tão fascinado pelo que há por baixo da fralda?

Enquanto exploram seu corpo, as crianças são levadas a descobrir as zonas de prazer. O desafio: não reaja exageradamente nem envergonhe seu filho.”Deixe que ele saiba que pode tocar seu pênis, desde que na privacidade de seu quarto”, diz Jenn. Você também deve estar preparado para o interesse do seu filho com o que sai de seu corpo. “As crianças veem o cocô como parte delas mesmas”, diz Jenn. “Eles não pensam: ‘ai, que nojo'”. A melhor forma de agir é dizendo da maneira mais neutra possível que o cocô não é para brincar, então deve permanecer na fralda ou no penico. 

Por que meu filho de 2 anos, às vezes, me bate com um brinquedo?

Calma, isso não significa que ele está bravo ou não te ama. “Crianças pequenas estão aprendendo causa e efeito”, diz Jenn. “Vai demorar um pouco para seu filho entender que quando te bate, dói.” Pense nele como um pequeno cientista que está tentando entender como as coisas funcionam e qual impacto suas ações terão. O brinquedo vai fazer barulho? A mamãe vai fazer barulho? O brinquedo vai quebrar? Entenda como o que realmente é – um momento de aprendizado. Calmamente diga “nossa, isso dói. Não pode bater nas pessoas.” 

Por que é tão atraente desenhar nas paredes?

Seu filho não entende os limites, a menos que você os apresente. Antes disso (e um pouco depois também) tudo é uma tela em potencial para o seu mini-artista, principalmente uma parede branca. Explique onde os lápis, gizes de cera e tintas podem ser usados e foque nisso, mais do que onde não podem ser usados. “Se você lembrar ao seu filho onde ele não deveria desenhar, ele tende a esquecer a palavra ‘não'”, diz Jenn. “Reforce o comportamento certo perguntando onde ele pode pintar.” Se ele continuar desenhando onde não deveria, diga que só poderá usar o material de arte com um adulto por perto.