Bebês

6 mitos sobre o desenvolvimento dos bebês que você deveria saber

Nem tudo o que ouvimos por aí é verdade

Logo-Parents (1)
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Shutterstock)

(Foto: Shutterstock)

Avós, amigos e até mesmo a sociedade enchem os pais com os conselhos mais bem-intencionados, mas como o pai e a mãe podem ter certeza de que estão recebendo as informações corretas? Com a ajuda de Andrew Adesman, chefe da divisão do desenvolvimento e comportamento pediátrico no hospital infantil Schneider em Nova Iorque, desvendamos alguns mitos comuns no dia a dia dos pais de bebês e crianças mais novas.

1. Brinquedos podem deixar o bebê mais inteligente

Mito: bebês precisam de brinquedos sofisticados para atingir o máximo da estimulação cerebral

Anúncio

FECHAR

Verdade: não há evidencia de que um brinquedo em particular deixará seu bebê mais inteligente

Adesman explica: “Como os bebês aprendem a explorar o ambiente, um lugar estimulante vai ajudar, mas brinquedos sofisticados não são necessários. Da mesma forma, embora seja verdade que os bebês parecem ter uma preferência visual por imagens que contrastem o preto e o branco, os pais não devem ter a falsa expectativa de que cercar o bebê com essas imagens fará com que sua inteligência aumente”.

2. A verdade sobre atrasos na fala

Mito: se o seu filho tem um atraso na fala ou com a língua, não há nada com o que se preocupar, já que as crianças normalmente superam esses problemas com a idade.

Verdade: procure ajuda cedo se o seu filho mostrar sinais de atraso nessas áreas.

Adesman explica: “Os pais precisam reconhecer as diferenças entre fala (qualidade do som) e língua (conteúdo de comunicação) e levar em consideração cada atraso. Uma intervenção precoce pode ajudar a determinar se a criança pode ter autismo ou outros problemas cognitivos”.

Leia também

Menos atividade física deixa as crianças com poucas habilidades motoras

Nossas crianças estão comendo mal. Precisamos falar sobre isso!

Quanto tempo meu filho precisa dormir? Veja tabela para cada fase

3. Filho mais novo = vai demorar para falar

Mito: o filho mais novo em uma família grande vai demorar para começar a falar.

Verdade: a ordem do nascimento pode desempenhar um papel na língua e fala, mas nem sempre é um fator decisivo.

Adesman explica: “Os pais devem ter o cuidado ao racionalizar o atraso na fala de qualquer criança. A ordem do nascimento pode ter um impacto pequeno, mas cada família é diferente. Tenha cuidado para não ignorar um possível problema porque você deduz que o filho mais novo naturalmente vai demorar mais para falar”.

4. Saberes da visão

Mito: segurar livros muito perto dos olho pode prejudicar a visão da criança.

Verdade: isso não vai danificar a visão, entretanto pode indicar miopia.

Adesman explica: “Segurar um livro perto ou sentar bem em frente à televisão não vai prejudicar a visão da criança, mas pode indicar um problema se ela insistir que esses objetos precisam estar perto. Discuta isso com o pediatra do seu filho. Se for apenas preferência pessoal, está ok”.

5. Entender a altura do bebê

Mito: a altura do bebê no nascimento é uma base para a sua altura quando for adulto.

Verdade: a altura no nascimento não serve como base, mas medições futuras podem ser.

Adesman explica: “Existe uma tendência natural de dizer que, quando um bebê é muito comprido, ele será alto quando for mais velho. Mas a altura dos pais serve muito mais como base para ter uma ideia de como a criança será”.

6. Meu filho terá alergias?

Mito: se você tem alergias respiratórias, o seu filho eventualmente irá contraí-las também; caso  não tenha, seu filho também nunca terá.

Verdade: hereditariedade desempenha um papel em quem tem alergias, mas outros fatores também influenciam.

Adesman explica: “Podem haver algumas predisposições, mas famílias não podem assumir que, se os pais têm alergia a algo, então seus filhos também terão. Da mesma forma, alergias podem aparecer do nada, mesmo que os pais nunca tenham tido. Quando se trata de alergias infantis, a genética não dita o destino”.