Bebês

Aliviando o calor do bebê

Para refrescar o seu filho, saiba quais são os prós e contras do ar-condicionado e do ventilador

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Ele é tão pequeno que ainda não sabe dizer quando está sentindo calor. Os sinais também são difíceis de perceber, principalmente se for um recém-nascido. Nos dias mais quentes, nós, adultos, nos sentimos desconfortáveis e irritados. As crianças também, mesmo que se manifestem de maneira diferente.

Anúncio

FECHAR

Segundo a pediatra Débora Passos, mãe de Rodrigo, Isabela e Gustavo, para aliviar o calor dos bebês, o principal é o uso de roupas adequadas. “O recém-nascido tem os pés e mãos mais frios, o que é normal. Os pais acabam agasalhando e achando que estarão mais protegidos, mas o correto é usar roupas mais leves ou apenas o body”, explica. A partir dos três meses, fica mais fácil perceber os sinais, como pelo suor da pele. Enquanto isso não acontece, também é aconselhável dar mais de um banho por dia.

Ar-condicionado x Ventilador

Se a temperatura for adequada, não tem problema usar ar-condicionado no ambiente onde está o bebê. Segundo a pediatra, o ideal seria uma estabilidade de 25º C, que o manteria fresquinho. “Até em UTI neonatal, usamos ar-condicionado. O importante é que o ambiente seja umidificado, mesmo que por uma bacia de água”, orienta.

Se você está pensando em colocar o ar-condicionado no quarto do seu filho, lembre-se de que o filtro deve estar sempre em condições adequadas. Além da manutenção do aparelho, é importante que a criança não saia do ambiente frio para o quente de uma hora para outra, para que não ocorra um choque térmico, que pode causar doenças respiratórias. “Isso pode causar uma alteração na mucosa respiratória, o que expõe o bebê à infecções bacterianas ou alergias, como rinite ou bronquite”, diz. Se tiver de sair do ambiente frio, aumente aos poucos a temperatura ou espere um pouco para sair do local.

Apesar de ser menos eficaz na hora de aliviar o calor, o ventilador também pode ser usado, desde que não seja direto em cima do bebê. “Ele não altera a temperatura do local e vai causar mais conforto”, esclarece a especialista. Além disso, é mais fácil de ser mantido, pois a sua limpeza é simples e não há risco de ocasionar um choque térmico.

Não se engane achando que o seu recém-nascido não sente calor. Ele sente – e muito. A temperatura normal do corpo deve ser de 36 a 36.5 ºC. Converse com o pediatra e procure a melhor solução para refrescar o ambiente, sempre ficando atenta ao caso de ocorrer febre. ”Algumas vezes, a febre pode se dar pelo excesso de roupa, o que seria um caso de hipertermia”, esclarece a pediatra.

Consultoria:

Débora Passos, pediatra neonatologista e nutróloga da Maternidade Pro Matre Paulista, www.promatresp.com.br, é mãe de Rodrigo, Isabela e Gustavo