Gravidez

Gravidez: nove verdades e uma mentira

Será que você consegue acertar?

Carolina Porne

Carolina Porne ,Filha de Sandra e Rubens

verdades-e-mentira

Foto: Shutterstock

Na onda dos posts que estão bombando no Facebook, fizemos uma lista de cuidados e fatos que merecem sua atenção durante a gravidez. Será que você consegue descobrir qual é falso? As respostas estão abaixo.

  1. A gravidez deixa a pele mais bonita.
  2. Meninos tendem a nascer mais rápido que meninas.
  3. Grávidas não podem tomar chá verde ou mate.
  4. Após o parto, você sentirá menos cólicas menstruais.
  5. Falta de vitamina D na gestação pode causar pré-eclâmpsia.
  6. Tatuagens estão proibidas durante a gravidez.
  7. A sua alimentação pode alterar o DNA do bebê.
  8. Dentro da barriga, os bebês dormem 16 horas e até sonham.
  9. Bebês começam a chupar o dedo ainda na barriga da mãe.
  10. Grávidas roncam mais e podem ter outros problemas nasais.

1.Mentira. O coquetel de hormônios que invade seu corpo (só os nomes já assustam: cortisol, gonadotrofina, fator sebotrófico hipofisário…) estimula as glândulas sebáceas, tornando a pele oleosa. Se você não a mantiver limpa, tchau, ficará com acne mesmo. Para evitar que seu rosto vire área de desastre, recorra a sabonetes ou loções de limpeza suaves, que retirem o excesso de oleosidade sem ressecá-la.

2.Verdade. Considerando o tempo de gestação, os meninos são definitivamente mais apressados! Comparados às meninas, eles têm 27% de chances a mais de nascerem prematuros entre a 20ª e 24ª semana de gestação. Quando a 30ª semana se aproxima, o risco de nascimento aumenta em 24%.

Anúncio

FECHAR

3.Verdade. Essas bebidas aceleram o metabolismo e podem causar mal-estar ou palpitações cardíacas.

4.Verdade. Quando seu ciclo voltar ao normal, você poderá ter menos cólicas. Não se sabe direito porque a dor diminui, uma teoria é que o nascimento do bebê elimina algumas das áreas receptoras de prostaglandina no útero. A prostaglandina é o mesmo hormônio que faz o útero contrair durante o parto e desempenha um papel na dor menstrual. O resultado? Menos receptores de dor, menos cólicas.

5.Verdade. Esse distúrbio é mais comum depois da 20ª semana da gestação, especialmente a partir do terceiro trimestre, e pode resultar em restrição do crescimento do bebê e nascimento prematuro, além de influenciar para que a criança já nasça com deficiência da vitamina. Por isso, fique atenta!

6.Verdade. Segundo a ginecologista e obstetra Bárbara Murayama, mãe de Pedro,a tatuagem durante a gravidez pode ser prejudicial, tanto para a mãe quanto para o bebê. “Todos os órgãos do nosso corpo passam por algum tipo de mudança, sem contar as mudanças emocionais, por causa do turbilhão hormonal”, explica. A imunidade da mulher fica mais baixa e, por isso, ele fica mais suscetível a contrair infecções e doenças.

7.Verdade. Uma dieta pobre em nutrientes e com alimentos inflamatórios pode silenciar genes de proteção ou indisponibilizar aqueles responsáveis pelo reparo de mutações, fabricando proteínas defeituosas que podem causar doenças futuramente na criança.

8.Verdade. Os bebês dentro da barriga dormem a maior parte do tempo, cerca de 16 horas por dia para 8 horas acordados. Enquanto estão dormindo, eles sonham com as vivências que tiveram durante o dia. “As experiências da mãe também são associadas pelo bebê enquanto estão sonhando, como sustos ou stress”, explica o ginecologista e obstetra Domingos Mantelli.

9.Verdade. A partir do terceiro trimestre de gravidez o bebê também começa a chupar o dedo. Eles fazem isso para fortalecer a musculatura relacionada ao movimento de sucção.

10.Verdade. Congestão, sangramento e ronco: prepare-se para tudo isso. Por que? As suas cavidades nasais também incham na gestação, graças aos hormônios e esse inchaço diminui a área para a circulação do ar. Seu nariz pode também sofrer com ressecamento. Use umidificador nasal ou faça algumas inalações. E não se preocupe, isso passa depois que o bebê nascer.

 

Leia também:

Chocolate na gravidez ajuda no desenvolvimento do bebê

1 em cada 5 brasileiros são obesos; problema pode começar na infância

Os 10 nomes mais populares no Brasil, segundo o IBGE