Gravidez

Existe jeito certo de fazer força durante o parto normal? Tire suas dúvidas!

A ginástica íntima traz diversos benefícios para as mulheres

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Shutterstock)

(Foto: Shutterstock)

Quando se está grávida, muitas incertezas passam pela cabeça da mulher. Dentre elas, uma está atrelada à escolha do parto normal. Será que existe jeito certo de fazer força? É algo natural, instintivo? Normalmente, a gente só descobre na hora. Mas é possível se preparar sim para esse momento.

A ginástica íntima é uma delas e traz diversos benefícios, como melhorar a circulação sanguínea durante a gestação, ajudar a fazer força da maneira correta na hora do parto normal e garantir uma recuperação mais rápida no pós-parto, permitindo o restabelecimento da musculatura.

“Normalmente as mulheres erram concentrando as forças nos braços, mãos e pescoço, ao invés de levar essa força para a musculatura abdominal e do períneo [parte entre o ânus e a vagina], que é onde a força precisa estar concentrada”, afirma Cátia Damasceno, mãe de Vitor, Vinicius, Pedro e Matheus, fisioterapeuta com especialização em uroginecologia.

Anúncio

FECHAR

Cátia ainda explica que é preciso fazer força como se estivesse empurrando o umbigo para perto das costelas e, assim empurrar o bebê. Além disso, a musculatura do períneo precisa estar relaxada e não contraída. Aprender a fazer isso faz a diferença no parto. De acordo com a especialista, esses treinos podem começar na 12ª semana gestacional, com o acompanhamento de um fisioterapeuta especializado em uroginecologia ou então com uma doula.

A especialista indica alguns exercícios de ginástica íntima que qualquer mulher pode começar a fazer.

Exercício 1: O mais básico é a contração e relaxamento. Contraia a musculatura, segure, e solte por cerca de 30 vezes e descanse um minuto. Não faça quando for urinar, mas em qualquer outro momento do dia está liberado.

Exercício 2: Contraia a musculatura e segure por 5 segundos, depois relaxe. Repita 10 vezes seguidas com o intervalo de um minuto.

Frequência: A ginástica não pode passar de 30 minutos por dia, podendo ser divida em blocos de 5 ou 10 minutos

Atenção: Caso você esteja grávida, consulte o seu obstetra sobre a prática dos exercícios, pois eles podem ter contraindicações.

Leia também:

 4 exercícios que ajudam a se preparar para o parto

O que ninguém te contou sobre o parto (e nós te contamos!)

4 respostas sobre o uso de cinta no pós-parto