Família

O que você tá vendo aí? O uso seguro das redes sociais depende da família

Papo reto em casa é essencial para garantir que a internet não traga malefícios

Carolina Piscina

Carolina Piscina ,filha de Ana Maria e Osvaldo

(Foto: Shutterstock)

(Foto: Shutterstock)

A tecnologia está mudando a forma como as pessoas se relacionam e isso não é novidade. O que tem chamado a atenção é que as famílias também estão mudando seus hábitos dentro de casa. Pais e filhos estão cada vez mais conectados e o uso seguro das redes sociais passa a ser parte importante da educação das crianças.

“As mudanças são bem-vindas, desde que promovam o desenvolvimento de uma vida saudável com diálogo entre os familiares, limites bem estabelecidos entre os papeis parentais e o uso adequado destes instrumentos de comunicação”, explica Alda Elizabeth Boehler Iglesias Azevedo, mãe de Thiago, Monica e Gustavo, avó de Augusto e Elisa, pediatra com Área de Atuação em Medicina do Adolescente, presidente do Departamento Cientifico de Adolescência da SBP, professora de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMT.

Hoje as informações estão a um clique de distância, tudo pode ser encontrado e acessado quando se está online. Sendo assim, a conversa em casa ganha ainda mais importância. Em um ambiente aberto ao mundo todo, vulnerabilidades ficam ainda mais expostas, abrindo espaço para a propagação da violência, estresse, abuso e os mais diversos tipos de influências negativas.

Anúncio

FECHAR

“No caso do uso seguro das redes sociais o diálogo na família se intensifica porque promove conversação, olhar e aproximação entre pais e filhos sobre a Internet, sobre as redes sociais e os sites que são mais apropriados, de acordo com o desenvolvimento e a maturidade de cada um”, afirma Alda.

Sendo assim, o diálogo dos pais com os filhos precisa ser uma prática diária, a fim de estabelecer limites e fazer parte de tudo o que as crianças têm acesso nas redes sociais e jogos online. Deixar uma criança sozinha com uma conexão à disposição pode ser tanto positivo como negativo. Tudo vai depender de como a família se relaciona com esse ambiente.

Criança na internet não deve ser deixada livre. Acompanhamento, supervisão e monitoramento são palavras essenciais na rotina familiar. Esse e outros assuntos serão discutidos no Encontro Conexões, que acontece no dia 19 de novembro, a partir das 9h.

Leia também:

A luta é brava! Essa geração de pais está tentando ficar menos conectada

Sua babá está nas redes sociais! Vale um alerta para ela também

Alerte seus filhos sobre os perigos da internet

rodape-600x131-1