Família

Corta já esse papo cheio de preconceito. A religião é de cada um!

Evento promovido no Facebook levanta essa bandeira

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Shutterstock)

(Foto: Shutterstock)

Hoje está acontecendo um evento no Facebook chamado Respeito Já. A ação, criada por Marco Aurélio Rocha, pai de Iago e sacerdote Afro-Religioso, é para levantar a bandeira de que qualquer religião deve ser respeitada e ninguém tem o direito de perseguir ou agredir outras pessoas com crenças diferentes.

A gente entra nesse assunto hoje porque a religião está muito ligada à família, principalmente para o fortalecimento de vínculo. “Pra mim, hoje, principalmente no Brasil, é muito importante todos pertencerem a uma religião, porque qualquer uma delas leva ao mesmo caminho: amor ao próximo e ensinamentos para que os jovens não tenham contato com as drogas”, explica Marco.

A criança, desde cedo, consegue dar sinais das suas preferências em qualquer situação. Pensando nisso, ela vai aprender e saber distinguir suas preferências religiosas. “É fundamental que a criança participe do ambiente para saber o que seus pais pensam e acreditam”, afirma.

Anúncio

FECHAR

Segundo Marco, as crianças conseguem, sim, dar sinais se gostam ou não. A religião tem a capacidade de criar um alicerce na vida de um filho e depois, com mais idade, ele tem o livre arbítrio para falar se quer seguir ou não. Essa é a real importância de dar uma religião para a criança. “Elas têm uma capacidade muito melhor de assimilação do que os adultos. Assim, ela já sabe o que seus pais acreditam e, a partir disso, estão livres para conhecer novas crenças”, afirma.

Se você também acredita nisso, poste uma foto ou um vídeo e marque a #RespeitoJá no Facebook.

Leia também:

Religião e espiritualidade

Santo Antônio é o padroeiro das crianças

A fé não costuma falhar