Colunistas

Por que o parque?

Brincar no parquinho traz benefícios para crianças que vão além da diversão

brincar-no-parquinho

 

Levar seu filho ao parquinho pode ter mais importância na vida dele do que se imagina! Há muito mais nesse passeio do que somente distrai-lo ou ajudar a gastar suas energias. Pesquisa da Universidade de Winona (Minnesota, Estados Unidos) revelou que brinquedos como gangorra, gira-gira e trepa-trepa podem ajudar seu filho a ter melhor desempenho escolar, no futuro.

Anúncio

FECHAR

O resultado da pesquisa mostrou que crianças que exploram esses brinquedos na faixa etária entre 2 e 4 anos de idade têm um melhor desenvolvimento do sistema vestibular. O sistema vestibular é o conjunto de órgãos do ouvido interno responsáveis pela manutenção do equilíbrio.

As mudanças na rotina diária das famílias e também o impacto da entrada da tecnologia em nossas vidas levaram nossas crianças a uma vida mais sedentária. Mesmo as brincadeiras dentro de casa, com irmãos que hoje são cada vez mais raros e escassos, foram aos poucos deixando de existir. Junte-se a isso a enorme variedade e canais de televisão com programação exclusiva e ininterrupta para crianças.

Não paramos por aí: a falta de segurança nas ruas, a vida com horários de trabalho que já não têm mais um ponto final também acabaram por tirar as brincadeiras na calçada ou mesmo na rua, com vizinhos e colegas do bairro. O resultado da soma de todos esses fatores – sem a necessidade de julgamento de valores, ou avaliação saudosista do que era melhor – simplesmente o produto final é a infância literalmente mais parada, sem tantos movimentos físicos.

Como o girar, virar cambalhota, pular o muro eram tão integradas na vida das crianças, o desenvolvimento do aparelho responsável pelo equilíbrio e que, hoje sabemos, também primordial na capacidade de concentração e foco, acontecia de forma natural.

Uma criança que não calibra o sistema vestibular terá as consequências surgindo entre os 11 e 13 anos de idade, quando a concentração é primordial para o avanço nos estudos. O estímulo que os brinquedos do parquinho oferece às crianças ainda pequenas vai se refletir na Educação Infantil e nos primeiros anos do Ensino Fundamental.

Crianças que exploram com frequência os brinquedos mais tradicionais do parque de diversões apresentam maior capacidade de foco por tempo prolongado, desenvolvimento habilidades de leitura, escrita, raciocínio lógico e maior capacidade de atenção ao ouvir outras pessoas.

Vale lembrar que simular a sensação desses mesmos brinquedos não produz o mesmo efeito – aliás, o efeito é nulo se a criança estiver experimentando as sensações através de algum jogo eletrônico, por mais sofisticado que seja. É o movimento do corpo, em conjunto com o efeito de explorar fisicamente o ambiente que leva o sistema vestibular a se desenvolver melhor e estabelecer conexões cerebrais duradouras e consistentes.

#partiuparquinho então?

Leia também
Vídeo: Brincar é mais importante do que você imagina!

Brincar de bambolê e assoviar: Veja como ajudar seus filhos no treino destas habilidades

10 habilidades que seu filho precisa aprender antes dos 10 anos