Colunistas

Dicas para aproximar os universos da escola e da casa

Os pais e a escola têm papeis diferentes e que se complementam. O colunista Marcelo Cunha Bueno ajuda a cultivar essa relação

Educação, como sempre digo, é relação. Relação entre escola, família, criança, cidade, cultura… E as nossas aprendizagens circulam e acontecem nesses espaços. Entendemos o mundo quando estabelecemos relação entre essas esferas. Aprendemos quando o conceito faz sentido de forma global, atingindo cada campo de pensamento das nossas vidas. Não há no mundo algo que seja significativo se você não puder potencializar e viver em mais de uma esfera da sua vida.

Para enriquecermos as relações de aprendizagem de nossos filhos e filhas, podemos – e devemos – aproximarmo-nos daquilo que circula pela escola. Parceria é entendimento. E, para que isso aconteça…

Anúncio

FECHAR

Veja aqui o que especialistas têm a dizer sobre a escolha da primeira escola e tire suas dúvidas:

CONVERSE

Escola precisa gostar de conversar sobre o que faz, sobre o que pensa. Quanto mais se conversa, mais se aproxima daquilo que é, realmente, vivido. A conversa aproxima muito a escola da família. E a criança é quem ganha nessa relação. Conversar sobre o dia-a-dia, sobre questões educacionais mais genéricas, questões específicas sobre os nossos filhos e filhas.

INTERESSESE

Pelos temas e conteúdos trabalhados para poder contribuir da melhor forma possível. Nas pesquisas, nas lições e tarefas, nas ampliações, nas conversas informais.

Pelas parcerias de sua filha e de seu filho para poder estar mais próximo, para entender os movimentos de grupo, para ver o seu filho e a sua filha dentro de um grupo.

Pelos gostos, pelos desejos de aprender para entender posicionamentos, questionamentos, encaminhamentos. Entender os pontos de vista nos ajuda a traçar melhor os nossos caminhos.

Pelas dificuldades para estar por perto. Para apoiar. Para encorajar.

REPERTORIZE

Precisamos de referências. Referências éticas, estéticas. Que nos inspirem, que nos ajudem a organizar as ideias, que impulsionem os nossos pensamentos sobre o mundo. Repertório cria caminhos. Repertório sustenta argumentos! Filmes, livros, músicas, revistas, sites. Para pequenos e pequenos grandes jovens, os familiares são os responsáveis por disponibilizar boas referências. Referências que respeitem gênero, amor, sexo, posicionamento político, etnia, culturas.

DEDIQUE-SE

Tempo é parceria quando falamos de aprendizagem. Aprendemos melhor quando sentimos que o outro é capaz de dedicar seu tempo à parceria. A criança, o jovem precisa ver que o outro, pai, mãe, professor, professora, se dedica a compartilhar as descobertas do mundo. O aprendizado só faz sentido quando toca o outro. Tempo não é medido por quantidade nessa relação, mas por qualidade. Lembremo-nos disso! Cinco minutinhos faz toda a diferença. Cinco minutos inteiros! De verdade!

RELAXE

Quem ensina é a escola. Quem diz quais conteúdos serão importantes, quais intervenções, quais caminhos para superar desafios é a escola. Escola ensina, família educa. Assim, a relação com “as coisas da escola” fica mais leve para todos, inclusive para a criança, para o jovem. Não dá para pressionar na escola e em casa também. A casa, a família, apoia, organiza, estrutura afetivamente e encoraja. Curta cada novo desafio e entenda que eles são necessários para crescermos. Todos e todas!