Colunistas

Festa de Pokémon para poucos

Aos 8 anos, Gabriel já não quer grandes festas em buffet ou muitos convidados. Um time de futebol formado apenas pelos amigos já é suficiente

Bollo de Pokémon

O bole e os doces foram feitos pela vovó Teteu (Foto: Samanta Hayakawa, a amiga-mãe-da-escola que fotografa)

No aniversário de 1 ano de Gabriel eu tive problema com o condomínio de tanto convidado que enfiei dentro do salão de festas. Foram pra lá de 150 pessoas. Hoje, o meu filho já não deseja grandes festas e comemorações. Pelo segundo ano, ele pede um churrasquinho com futebol para os melhores amigos.

Eu fico feliz dele começar a fazer escolhas e demonstrar seus próprios desejos. Mas também fico triste de cortar um monte de gente da lista (por que mãe tem  mania de querer mostrar pro mundo a evolução da sua cria?).

Ok, topo a minifesta. Mas que fique claro: comemorar aniversário eu vou sempre! Isso é indiscutível aqui em casa. Para mim, é o dia mais feliz do ano, eu amo fazer festa, contar para todo mundo que é o meu aniversário e festejar. Ainda falta um pouco, mas eu já planejo meu aniversário de 40 anos.

Anúncio

FECHAR

A baiana festeira sou eu. Meu filho é minimalista e decidido. Sem badalação, mas com os grandes amigos. E não é porque o mocinho quer um petit comité que ele não é exigente. Alias, me deixou louca com o tema Pokémon, que é bem ausente no universo da decoração. E as cartas Pokémon são o hit do momento. E missão dada é missão cumprida! Lá vamos nós pensar na mesa. #sorte!

parabens_pokemon

Os irmãos curtindo juntos a festa de aniversário (Fotos: Samanta Hayakawa)

Na onda do Do It Yourself (faça você mesma, em inglês) eu até que mandei bem na mesa do bolo. Comprei uns Pokémons numa loja de fast-food, descolei umas moedas personalizadas, uns cards e uma lousa que fez toda a diferença. Ah, e os móveis e bandejas eu aluguei, como sempre, porque comprar é algo que não fazemos há tempos (É só encontrar um acervo bacana que a sua festa está 60% pronta).

Gabriel fez oito anos cercado de amigos e da família. Correu, comemorou, brincou, jogou, pulou e fez tudo que uma criança tem direito. E conseguiu dar atenção a todos, o que era o seu maior medo. “A festa foi minha, mas eu acho que todo mundo se divertiu, né? E eu não deixei ninguém de lado”.

Não, filho, você foi massa com todos os seus amigos. E a gente se enche de orgulho disso!

festa_pokémon

Animação: a meninada reunida (Foto: Samanta Hayakawa)

 

 

Pais&Filhos TV