Colunistas

O Sim e o Não

Se você disser um SIM ou um NÃO movida pelo impulso, vai ter de manter o que disse

(Foto: Shutterstock)

(Foto: Shutterstock)

– Manhê, me dá um Ipad? Não tenho nada pra fazer!
– Não, meu filho. Você não tem idade para mexer no Ipad.
– Mas mãe… Todo mundo tem!
– Todo mundo tem, mas você não é todo mundo! E não insista!
– Manhê, então deixa eu brincar de lutinha com o Bruninho?
– Não, meu filho. Você já passou da idade de ficar bagunçando com o Bruninho.
– Mas manhê!…
– Não insista menino! Pare de me atazanar! Vai lá, pega o meu Ipad vai! E vê se me dá sossego.

Afinal: Esse menino tem ou não tem idade para mexer no iPad?
Se ele pode usar o iPad da mãe, por que não pode ter o seu? Eita! Como é difícil ser coerente na educação dos filhos. E sabe por quê?
Porque, na maioria das vezes, as mães optam por ficar numa “zona de conforto”.
Tudo começa a dar trabalho quando o NÃO virá SIM e o SIM vira NÃO.
Isso acontece muito quando não paramos para pensar antes de responder às demandas dos filhos, seja qual for a idade que tenham.

Geralmente as mães têm pouco tempo, hábito, ou paciência para ouvir o filho. Respondem às pressas, conforme o que lhes convém no momento e voltam atrás, porque são vencidas pela insistência e pelo cansaço.

Anúncio

FECHAR

Os filhos já sabem disso. Perceberam há tempos esse macete. Você sabia que todo o comportamento é aprendido? Você sabia que depois de aprendido ele virá hábito? Não! Não se culpe! Educar já é difícil. Com culpa então!…Como agir diante dessas situações impensadas? Olha minha amiga, se você disser um SIM ou um NÃO movida pelo impulso, vai ter de manter o que disse. Quem mandou não pensar? Deixou tomar sorvete e se arrependeu? Agora foi!

Como é que você vai passar segurança, confiança e noções de valor e ética, se nem você sabe o que diz?
Não tenha pressa. Não seja imediatista. Pare para pensar antes de falar. Pondere e use o seu bom senso para direcionar a sua criança. Dá trabalho, mas muito menos trabalho do que discutir todos os dias e em vão. Você chega lá! Pense: Filho é pra sempre!

Um sorriso largo e sincero.

Culpa não! Te mostramos como lidar com esse sentimento

Deixe de lado a culpa de ser uma mãe de segunda (ou terceira) viagem

Sem culpa: Seja mais gentil com você mesma

A Betty Monteiro falará sobre o tema “Culpa não” no nosso Seminário Internacional “Mãe também é gente”, que ocorrerá dia 15 de maio no WTC (World Trade Center São Paulo), na zona sul de São Paulo. Inscreva-se aqui.

rodapé novo correto